/NOTA DE REPÚDIO ÀS MENSAGENS DESAIROSAS DA DIRETORA EM SÃO PAULO

NOTA DE REPÚDIO ÀS MENSAGENS DESAIROSAS DA DIRETORA EM SÃO PAULO

A Associação dos Servidores do Ministério Público Federal – ASMPF tomou conhecimento de publicação de postagens nas redes sociais, na página da ASMPF/SP, e envio de vários e-mails, de uma “Nota de Esclarecimento” assinado pela Sra. Jussara de Andrade Torales, denegrindo a imagem da ASMPF, de seus Diretores, e desinformando os associados, de forma que REPUDIAMOS tal atitude.

Ocorre que, após publicação de uma Nota do Conselho Fiscal da ASMPF, que suspendeu o repasse mensal do Núcleo de SP, a referida senhora, que ocupa a função de Diretora do Núcleo da ASMPF em São Paulo, resolveu atacar a presidente da ASMPF, seus diretores e alguns diretores de Núcleos Estaduais.

Entendemos que este tipo de ataque dirigido a diretores, atinge diretamente a entidade, de forma que infringe os ditames do Estatuto Social. As consequências que o ato produz, poderá incidir em penalidades previstas no Estatuto da entidade.

A Sra. Jussara Torales, de forma leviana, induz os associados a desconfianças ao afirmar que a Presidente da ASMPF recebe 7 mil reais como ajuda de custo, quando, a realidade é muito diferente disso, o valor atual da ajuda de custo é pouco mais que 2 (dois) salários mínimos.

Ao acusar os Diretores dos Núcleos Estaduais de “terem ido a Brasília aprovar “ajuda de custo” para a Presidente da ASMPF”, quando tal ajuda já existia por força de decisão assemblear, restou claro que a Nota de “Esclarecimento”, emitida pela Sra. Jussara Torales, além de vil, desprovida de seriedade, tem a finalidade de desviar a atenção de sua gestão, aparentemente, temerária.

Destaca-se, os Diretores dos Núcleos Estaduais estiveram em Brasília, para participar do I Encontro dos Núcleos Estaduais e consequentemente, participaram da assembleia de aprovação do novo Estatuto Social da ASMPF.

Os Diretores dos Núcleos Estaduais atacados pela Sra. Jussara, são pessoas sérias, comprometidas com a entidade,  as administrações são ímpares e superavitárias, conforme demonstrado na prestação de contas, publicadas no site da ASMPF.

Percebe-se que a emissão da “Nota de Esclarecimento”, que nada esclarece, teve o intuito de querer justificar os atos praticados pela Sra. Jussara, que nada condizem com o espírito associativo em desrespeito aos associados no estado de São Paulo.

Diante do que consta na prestação de contas publicada no sítio eletrônico da ASMPF, a Sra. Jussara Torales emitiu 08 cheques sem fundos no ano de 2018, resultando em cobrança de tarifa bancária no valor total de R$ 783,50. Essa situação prejudicou a ASMPF, inclusive negativando a entidade no Serviço de Proteção ao Consumidor. Diante disso, a ASMPF teve que intervir para resolver várias pendências, isso tudo resolvido internamente, sem alardear, porém, diante do ocorrido agora, não há como se calar.

Ainda, pelo que se observa do ofício emitido pelo Conselho Fiscal, foi apurado o seguinte:

  1. a) 38 saques da conta da ASMPF/SP sem justificativa, totalizando o valor de R$ 14.409,99;
  2. b) 06 DOCs emitidos na conta da ASMPF/SP sem identificação ou justificativa, importando no valor total de R$ 5.369,31;
  3. c) 11 transferências eletrônicas da conta pessoal da Sra. Jussara Torales, na prestação de contas da ASMPF/SP, sendo um total de R$ 15.069,95;
  4. d) contabilidade paralela da ordem de R$ 133.510,44 durante o ano de 2018, valor este que deveria estar na conta da ASMPF/SP mas foi movimentado em outra conta diversa da entidade;
  5. e) 98 compras realizadas em 2018 de forma unilateral pela Sra. Jussara por cartão de débito sem a devida comprovação dos gastos, no valor total de R$ 21.720,42 e sem a assinatura do tesoureiro. Este procedimento fere o Art. 48 do Estatuto Social da ASMPF, que obriga a assinatura do diretor em conjunto com o tesoureiro e na ausência do tesoureiro, em conjunto com o diretor adjunto;
  6. f) retiradas indevidas em 2018, no valor total de R$ 6.851,40 realizadas pela Sra. Jussara Torales, justificando ajuda de custos acima do regulamentado pelo Estatuto Social da ASMPF.

Ao contrário da gestão desorganizada como se demonstrou a realizada pela Sra. Jussara, a Diretoria Executiva e todos os outros Núcleos Estaduais apresentaram a prestação de contas dentro da conformidade, demonstrando, inclusive, superavits e administração calcada nos princípios éticos.

O Tesoureiro do Núcleo de São Paulo renunciou no início de agosto/2018 e, desde então, de forma irregular a Sra. Jussara Torales vem movimentando unilateralmente as contas da entidade, em verdadeira afronta aos ditames estatutários, apenas após suspensão do repasse, convocou o Diretor adjunto a regularizar, junto ao Banco Itaú, rubrica para movimentação conjunta da conta bancária.

Por todo exposto, a ASMPF REPUDIA veementemente a manifestação divulgada pela Sra. Jussara.