ASMPF PARTICIPA DE REUNIÃO COM A DIRETORIA EXECUTIVA DO PLAN-ASSISTE

Na segunda-feira (29), a Associação dos Servidores do Ministério Público Federal – ASMPF, em conjunto com os demais representantes das entidades do MPU (ASMIP/ASEMPT/SINDMPU), se reuniu com a Diretoria Executiva do Plan-Assiste, com o propósito de ouvi-lo a respeito dos assuntos pautados: a) reajuste do percentual de coparticipação; b) fundo garantidor c) medidas tomadas perante a crise sanitária causada pelo novo coronavírus; d) auditoria.

Reajuste do percentual de coparticipação

A ASMPF buscou esclarecimentos sobre o reajuste do limite da coparticipação que, segundo noticiado pelo Plan-Assiste, será atualizado bimestralmente pelo IPC. A ASMPF argumentou que os servidores não possuem reajuste salarial anualmente e, sequer bimestralmente, de modo a estarem em uma situação de incerteza financeira, especialmente porque o índice já sofreu reajuste de 5% para 7,5%.

Foi esclarecido pela Diretoria do Plan-Assiste que compete ao Conselho Gestor alterar qualquer forma reajuste, e informou que há uma suspensão da correção por motivo da crise sanitária causada pelo novo coronavírus, e que devido a isso, culminou em um deficit da ordem de 15 milhões.

Fundo Garantidor

A entidade pediu esclarecimentos sobre o funcionamento do Fundo Garantidor instituído, e se ele cobrirá as dívidas dos seus titulares falecidos. A Diretoria do Plan-Assiste informou que este fundo passou a vigorar a partir de janeiro/2020, e as dívidas pretéritas não estarão contempladas. Que este fundo servirá para cobrir dívidas dos titulares falecidos a partir do ano de 2020. Ou seja, todo o saldo devedor constituído até 31/12/2019 continuará a ser tratado como sempre foi: no caso de morte do titular, será preferencialmente abatido das verbas de pessoal, transferido para o pensionista remanescente ou, como última alternativa, levada a espólio. Veja aqui a Norma Complementar Nº 15/2019 que trata do assunto.

Medidas tomadas diante da crise sanitária causada pelo novo coronavírus

Questionado sobre as iniciativas sanitárias voltadas para os terceirizados, o Plan-Assiste recebeu uma demanda do MPF/RO, questionando sobre a preservação da saúde dos servidores terceirizados, e que estes deveriam ser atendidos de alguma forma. Que, diante dessa situação, o Plan-Assiste recorreu a AUDIN a fim de buscar uma solução, assim autorizando um auxílio (testagem COVID-19) fundamentado no interesse da Administração. Por exemplo, os servidores terceirizados lotados no Plan-Assiste ou outro setor qualquer, pode ser testados pelo MPF, a fim de prevenir o contágio da equipe. O auxílio não sairá do orçamento do Plan-Assiste, de forma que foi criada uma rubrica no MPF para cobrir estes custos.

Ainda, a Diretoria do Plan-Assiste informou:

Que o MPF está custeando os exames para COVID-19, e que está em estudo as testagens rápidas, e que possivelmente ainda nesta semana deve iniciar a cobertura nos estados.

Nesta pandemia foi contabilizado:

103 internados em UTI;

14 óbitos, sendo 1 servidor, os demais, todos os dependentes maiores de 60 anos;

1.042 diárias de UTI, gerando um custo de aproximadamente 10 milhões;

1.300 atendimentos ambulatoriais.

A Telemedicina foi implantada inicialmente na área de psicologia e psiquiatria, e hoje já atende todas as especialidades, com marcação de atendimento por data e hora previamente. Houve um atendimento de UTI móvel aérea do Pará para o Distrito Federal, que isto custou algo em torno de R$ 125 mil; o programa incluiu no Distrito Federal os hospitais de Águas Claras e DFStar, para ampliar o atendimento aos casos de COVID-19.

Quanto às carteirinhas, o problema com a entrega é um fator novo, pois eram enviadas às Procuradorias. Que, diante da nova situação, as carteiras foram emitidas por e-mail.

O Plan-Assiste criou o endereço eletrônico Planassite-depam@mpf.mp.br para receber sugestões, críticas e pedido de esclarecimentos.

O Plan-Assiste implementou parceria com a Secretaria de Saúde para auxiliar nos atendimentos sobre o COVID-19.

A fim de melhorar o atendimento, o programa apresentou proposta ao Secretário-Geral, um plano de reestruturação, buscando criar um órgão que cuide das perícias (controle das empresas terceirizadas) e propor a Regulação do programa.

Auditoria

Com relação à auditoria, a Diretoria Executiva esclareceu que não foi constatada fraude, tanto pela empresa contratada pelo Pla-Assiste quanto pela empresa conveniada à ASMPF e entidades. Que as respostas ao relatório da empresa parceira da associação foram entregues na sexta-feira (26/6), ao Secretário-geral do MPU, Eitel Santiago.

Quanto a auditoria da AUDIN, a Diretoria do Plan-Assiste que recebeu o relatório na segunda-feira (29) e repassará em breve as informações.

Representantes associativos presentes: Rogério Virgínio (ASMPF); Adriel Gael e Renato Cantoni, (SINDMPU); Elber Ferreira Marques (ASMIP) e Elizabeth Zimermann (ASEMPT). Representantes da Diretoria Executiva do Plan-Assiste: Sônia Márcia Fernandes (Diretora Executiva), Raimundo Francisco de Aguiar (Diretor Executivo Adjunto), e Paulo Machado (Diretor-Geral do MPT).

Assim, informamos que a ASMPF continuará diligenciando para obter melhorias para os associados, reforçando compromisso com todos os servidores.

 

 

ASMPF

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email